eSocial  |  28-03-2018

eSocial e a demissão do ‘jeitinho’

Desde que começou a ser desenvolvido em 2007, o eSocial suscitou dúvidas e debates sobre como as empresas adequariam seus sistemas tecnológicos para através de um único meio informar os dados necessários.

Passado uma década, poucas mudanças foram efetivamente implementadas e ainda não existe nenhuma cultura sobre as ações necessárias para essa nova rotina.

Na prática, o eSocial vai unificar o envio de dados do empregador e do empregado afim de ter gerar informações sobre salários, práticas trabalhistas e previdenciários.

À partir de janeiro de 2018 essa prática será obrigatória para todas as empresas que em 2016 faturaram mais de R $ 78 milhões. Para as demais empresas, a rotina inicia à partir de julho do mesmo ano.

Entre seus principais objetivos, o eSocial visa garantir os direitos trabalhistas e previdenciários, desburocratizar o cumprimento das obrigações para os empregadores e aprimorar a qualidade das informações recebidas pelo Estado .

A expectativa é que o eSocial reduza a burocracia e aumente a responsabilidade das empresas sem fornecimento de informações. 

As novas regras não mudam a legislação; ao contrário, ajudam a cumprir a lei e acaba com o famoso “jeitinho”.

 

As empresas precisarão buscar informações e se estruturar a nova realidade para evitar multas e prejuízos em caso de não cumprimento das regras estipuladas. A MAXIPAS acompanha atentamente a evolução dessa matéria e está totalmente apta para assessorar os clientes e parceiros com o eSocial. 

Entre em contato e saiba como podemos ajudá-lo.