eSocial

eSocial  |  21-09-2017

Maioria das empresas não estão preparadas para o eSocial. A sua empresa está?

Dados de uma pesquisa realizada pela Fenacon afirmam que só 4,4% das empresas estão aptas para operar o novo sistema.

Desde o dia 26 de junho, o eSocial, plataforma criada pelo governo para unificar o envio de informações trabalhistas, fiscais e previdenciárias dos trabalhadores, disponibilizou o acesso ao ambiente de testes para todas as empresas do país.

A fase tem como objetivo preparar o setor produtivo para o início da utilização obrigatória do sistema. Vale lembrar que esse processo terá início em 1° de janeiro de 2018 para empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões anuais (mais de 15 mil empregadores) e a partir de 1° de julho de 2018 para todos os demais empregadores do país.

Porém, dados de uma pesquisa realizada pela Fenacon (Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas) mostra que só 4,4% das empresas estão aptas para operar o novo sistema. De acordo com os resultados do levantamento, realizado com 1,33 mil empresas associadas, 42,9% das companhias sequer iniciaram a implantação do sistema.

Somente 29,1% iniciaram o processo e 23,7% afirmaram estar na fase intermediária. A maior parte das empresas que participaram da pesquisa entrará na lista de obrigatoriedade para operar o eSocial no início de julho do próximo ano. Para o diretor de educação e cultura da Fenacon, Hélio Donin os índices são preocupantes, mas que é necessário considerar que há pela frente quase um ano para a adaptação.

 Divulgação para utilização do eSocial

Desde o início de agosto, as empresas que desejarem, independentemente de estarem ou não obrigadas a partir de janeiro de 2018, podem simular o envio das informações trabalhistas para a plataforma. Mas a realidade é de que pouco mais de mil empresas estavam usando o sistema, ainda em fase de testes.

Para reverter esse quadro, aumentar a adesão ao uso da plataforma e alertar que o último cronograma de implantação do sistema será mantido, ou seja, com início em janeiro de 2018, o governo estuda realizar uma campanha de divulgação. Na opinião do diretor da Fenacon, a oportunidade de testar o ambiente do eSocial antes da efetiva entrada em vigor deve contribuir para a capacitação das empresas e para a melhora desses índices.

Entenda o objetivo do eSocial

O eSocial surgiu com a finalidade de unificar as informações trabalhistas relativas à contratação de empregados domésticos, permitindo que os empregadores entreguem uma única declaração eletrônica com todas as informações necessárias. Isso significa facilidade para os empresários e aumento do controle para o governo.

O que sua empresa precisa fazer para implantar o eSocial

Para começar a implantação, o primeiro passo é separar um tempo para ler todas as informações e todos os documentos oficiais que estiverem disponíveis no portal oficial do e-social. Ao fazer a leitura atenta, liste todas as obrigações que deverão ser informadas no sistema e distribua as tarefas de acordo com os setores da empresa, isso facilitará a organização.

Na sequência, providencie uma auditoria trabalhista para avaliar se os procedimentos seguidos pela sua empresa estão de acordo com a legislação e aproveite para estabelecer novas regras e estratégias que visem melhoria no controle e efetividade no cumprimento das normas.

A partir daí, comece a cadastrar todos os seus funcionários, inclusive os estagiários, e peça para que todos confiram os dados pessoais, para se certificar que não existem erros. Lembre-se de conferir se a tributação e enquadramento da empresa, de acordo com a atividade econômica, bem como os laudos referentes à saúde e segurança do trabalhador. Qualquer falha encontrada deve ser solucionada antes do prazo para que você não tenha problemas com os órgãos fiscalizadores. Para as adequações tenha o máximo de atenção e seja cauteloso.

Em resumo, a implantação do eSocial será um facilitador para a rotina da empresa e certamente vai reduzir o tempo gasto com as obrigações acessórias e é necessário que as empresas iniciam a implementação o quanto antes, inclusive para testar e aprender tudo sobre a plataforma.