Trabalhista  |  12-04-2018

Como a geração Y se relaciona com o trabalho

O mercado de trabalho transforma-se de acordo com os profissionais que estão atuando dentro das empresas. Nesse sentido, uma pesquisa global liderada pelo join.me, ferramenta de colaboração online da LogMeIn, mostrou que os millennials representarão 75% da força de trabalho no mundo nos próximos dez anos.

Se utilizarmos esses dados de maneira analítica iremos perceber que em menos de uma década a “nova geração” já será maioria dentro das empresas, mas será que o mercado de trabalho está preparado para isso. É importante salientar que a geração Y vem mudando historicamente, e é difícil taxarmos exatamente o que eles buscam. Por exemplo, profissionais nascidos no início dessa geração (início da década de 80) normalmente estão em uma fase de vida de construção de família, alguns até já com filhos, e por isso, olham mais a questão da estabilidade na empresa e buscam um plano de carreira mais estruturado. Muitos destes profissionais hoje já ocupam cargos de lideranças em grandes empresas.

Já profissionais das próximas décadas (anos 90 e 2000), estão mais preocupados com questões como meritocracia, pensam em crescimento rápido, por isso, buscam empresas que tenham culturas que possibilitem essa ascensão mais acelerada. E isso se reflete até na mudança contínua de emprego, o que para seus pais era um tabu e até visto com maus olhos, para essa geração a mudança é uma necessidade constante em suas vidas e elas são vistas como grandes oportunidades. A geração Y vê a questão da qualidade de vida sobre outra perspectiva: menos estresse no dia a dia.

 

Fonte: Elite FM